195523345839500
 

Controlar os riscos é uma vantagem competitiva


Os eventos incertos que podem afetar os Projetos não são neuroses de profissionais ansiosos e estressados com o controle excessivo do Projeto.


Realizar um Projeto exclusivo pela primeira vez é um risco e tanto, não acha?


A maturidade em gerenciamento de projetos da equipe pode minimizar o impacto do risco ao projeto, mas não há certeza em função disso, que algum desses eventos, irão minimamente impactar negativamente ou positivamente o Projeto.


No entanto, observa-se que muitos projetos apenas identificam, qualificam e quantificam os riscos para se sentirem protegidas sob o plano de respostas aos riscos.


Por que mesmo que elaboramos planos?


Para serem executados!


Portanto, o caminho do Projeto passa obrigatoriamente por controlar os riscos.


Este processo envolve a implementação de planos de respostas aos riscos, o acompanhamento dos riscos identificados e a identificação de novos riscos.


Enfim, o ganho de efetividade do Projeto é evidente, pois monitorar, estar preparado e agir é um salto de desempenho no Projeto.


Além do que, qualquer, o gerente de Projeto atuante busca continuamente monitorar riscos novos, modificados e desatualizados.


É uma atividade realizada simultaneamente a execução do Projeto, isto é, o gerente do projeto e equipe monitora e controla os riscos enquanto realiza o Projeto com mesma atenção e esforço.


Consequentemente, controlar os riscos é trocar o pneu do carro em movimento...


É obter uma vantagem competitiva numa situação que poderia ser tratada exclusivamente como problema ou stress.


Neste caso, a prática de atuação trará a expertise para executar o Projeto e ao mesmo tempo investigar novos eventos que podem vir a impactar o gerenciamento do Projeto.


Fonte: Phins*




Posts Em Destaque